ERA UMA VEZ UM CASAMENTO! PATRÍCIA & FILIPE

 

A verdade é que mudámos de ano na expectativa de um número um cheio de novidade e lá chegámos e tudo na mesma.
Às vezes não muda tudo pela vontade de mudar ou pelo sabor avesso das doze passas mal engolidas pela obrigação, vogando ao esquecimento os desejos que ficaram por pedir.

É preciso respirar fundo (mais fundo) e esperar.
Tudo o que fazemos em reflexo do melhor de nós talvez regresse em simples retorno, em dobro ou até nunca venha, mas a fé no íman das coisas boas sobre as coisas boas prevalece sempre e, na opção de ser bom ou mau, que sejamos sempre melhores.

O nosso íman de coisas boas trouxe-nos um sete de Janeiro a saber a coisas melhores: um casamento surpresa!
Surpresa? Sim. Para todos.
Os convidados não sabiam que estavam ali para testemunhar um redondo “sim, aceito”. Os noivos não sabiam que nós estaríamos por lá para que, à semelhança dos desejos da passagem de ano, estes momentos não ficassem para sempre misturados com as imagens difusas e empoeiradas das coisas já vividas há demasiado tempo.

E sabem o que trazem as surpresas? Uma espécie de tempero extra aos sentimentos, fazendo-os apurar quase à impossibilidade de se resistir a uma ou outra lágrima insistente em desbravar caminho bochecha abaixo.

Quis a vida que houvesse um palco à séria e que ao abrir das cortinas o noivo aguardasse pacientemente enquanto um e outro “oh” para lá de exclamado ganhasse forma no espanto de todos.
Poderíamos imaginar que seria assim, mas jamais sonhámos extrapolar tanto as expectativas.

Queluz, Edimburgo, surpresas e sempre o amor, uma mistura incompreensivelmente especial para um dia ainda melhor.

Talvez deixar desejos por pedir resulte em momentos concretizados sem que com eles sequer sonhássemos.
Afinal terá valido o sacrifício das passas, ou talvez não.
Assim como assim vou reeducar o palato para a próxima degustação e nunca mais depositar no dia um a esperança de uma vida nova quando temos em frente aos olhos e numa só imagem a garantia de que o sete poderá ser um incrivelmente melhor ponto de viragem.

Assim:

12 de Janeiro de 2017

Comment